Qualidade de Vida • Em 17 jan, 2020

Qualidade de Vida: Vamos praticar a Antiginástica?

Qualidade de vida: Vamos praticar a Antiginástica?Antiginástica?

Todos nós conhecemos a ginástica, um exercício aeróbico bastante conhecido no mundo. Mas você já ouviu falar na antiginástica?

Vamos explicar o que é e o porquê ela pode ser ótima para todos nós. ^.~

Antiginástica é um método que trabalha partes do nosso corpo que não costumam ser treinadas durante as atividades físicas normais. Parece estranho, mas muitas vezes esquecemos que os dedos dos pés e até nossa mandíbula e língua são parte do nosso corpo e não estão sendo trabalhadas nos exercícios de musculação normal.

A principal função é alongar e relaxar estas partes que quase nunca usamos, para que o corpo seja exercitado por completo e, assim, aumentar o potencial que temos em nós.

Modalidade nem tão nova quanto parece

Apesar de bem pouco conhecida, a antiginástica foi criada na década de 70 por uma fisioterapeuta francesa. Thérèse Bertherat, passou sua vida observando o corpo humano para tentar entender seus obstáculos e todo o potencial que temos nele.

Bertherat acreditava que muitos dos males que nos assolam vêm do excesso de tensão, encurtamentos e contrações dessa cadeia de músculos. Ela apostou que exercícios de alongamento ajudam a relaxar o corpo para que, eventualmente, todos os ossos, músculos, tendões e ligamentos voltassem ao lugar, naturalmente.

O método foi desenvolvido a partir de diversas disciplinas que ela mesmo investigou e praticou – psicanálise, acupuntura e rolfing (espécie de medicina alternativa), entre outros – mas, acima de tudo , da extrema observação de como nos movimentamos, paramos, caminhamos e nos sentamos.

O nome “antiginástica” se deu por acaso. Bertherat queria escrever sobre o tema e precisava de um nome e na época, era moda romper com modelos e padrões.

Veja também:

Os benefícios da acupuntura na terceira idade

10 Alimentos Para A Alma – Qualidade de Vida

Como funciona a antiginástica

A antiginástica se desenvolve em ciclos de 11 ou 12 sessões. Ao fim de uma, começa outra totalmente diferente. Muitas vezes a pessoa não sabe ao certo o porquê está fazendo certos movimentos, não há espelhos na sala e o instrutor não mostra como fazer passo a passo, tampouco irá corrigir. A intenção é cada um trabalha com seu próprio corpo.

Na antiginástica, tudo tem uma razão anatômica. Ela é direcionada a cada parte do corpo: pés, ombros, olhos, mandíbulas, costas, abdômen, períneo, diafragma, espinha, ombros, clavículas. Ao mesmo tempo, ela também se volta para as conexões entre essas partes. Todos os exercícios são ferramentas para tomar consciência do próprio corpo e de como ele pode contar nossa história e emoções.

Quando se esfrega repetidamente a palma de uma mão, pode-se estar, sem saber, ajudando de alguma maneira a alongar o músculo do trapézio. E, ao movimentar a língua repetidamente, estamos fortalecendo ou soltando a traqueia – ou, ainda que seja difícil notar, fortalecendo também as pernas.

Não há uma recomendação médica específica que impeça a antiginástica, ela também não tem melhores recomendações para melhora de determinadas doenças. A antiginástica pode ser feita por qualquer pessoa com qualquer predisposição.

Para se ter mais informações sobre a antiginástica recomendamos a leitura do livro de sua criadora Thérèse Bertherat, O corpo e suas razões. A obra, publicada em 1976 se tornou best seller mundial e continua trazendo adeptos para esta atividade.

Veja o vídeo sobre alguns exercícios orientados por Thérèse Bertherat aqui.

Imagem : Mulher foto criado por nikitabuida – br.freepik.com
 

E que tal esta dica?

Totoro fitness – benefícios das atividades físicas

** Os direitos autorais sobre as imagens pertencem aos seus respectivos donos. Caso você seja um deles e queira que sua imagem seja retirada, por favor, entrar em contato conosco. Obrigada!

Beijins

Claudia

confira os posts relacionados:

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: